Qual o melhor momento para o bebê nascer?

Postada em 23 de março de 2018.

O nascimento de uma criança envolve questões psicológicas, sociais, médicas e até mesmo legais. Porém, nas últimas décadas, com a medicalização e institucionalização do parto, este período passou a ser cada vez mais programado e eletivo – agendado! Isso é certo? Afinal, qual o melhor momento para o bebê nascer?

ginecologista obstetra

Dr. Antônio Valderico de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica

Muitos aspectos devem ser levados em consideração, e uma grande questão são as condições do recém-nascido e sua idade gestacional.

Diferentemente do que faz a maior parte da população, o correto é iniciar a contagem da gestação por semanas, e não por meses; afinal, a margem de erro passa a ser bem menor.

É sabido que, quando se chega às 37 semanas, o bebê já está “pronto para nascer”, pois a parturiente entra num período chamado “gestação a termo”, ou seja, o feto já está preparado para vir ao mundo a fim de diminuir suas complicações perinatais.

Esse período começa nas 37 semanas e vai até a 42ª – ou seja, o feto tem cinco semanas inteiras para vir ao mundo – ou 35 dias!

A data anotada no cartão de pré-natal (DPP, ou Data Provável do Parto) não é definitiva, e não quer dizer que depois dela inicia-se a pós-maturidade ou o passar da hora do parto. A data informa quando mãe e bebê completam 40 semanas de gestação; logo, sobram ainda mais duas semanas:

 

 

Antes das 37 semanas, temos o que chamamos de gestação pré-termo (a famosa prematuridade) e, após as 42, o que chamamos de pós-termo, pós-datismo ou pós-maturidade.

Ambos os períodos são acompanhados de maiores riscos de morbidade e mortalidade para o feto, o recém-nascido e a própria mãe. Por isso, devem ser olhados com muita atenção pelos profissionais de saúde e receber acompanhamento em serviços de alta complexidade.

 

37 semanas: tudo pronto?

Para muitos casais, o fato de se atingir as 37 semanas é uma vitória.  Alguns possuem gestação de alto risco e problemas durante a gravidez, e passam por situações angustiantes.

Com 37 semanas, as contrações de treinamento já começam, o centro de gravidade da gestante força a musculatura e ossos da coluna, de modo que a lombalgia passa a ser algo constante e muito desconfortável. O volume uterino está em seu extremo e torna-se difícil respirar, caminhar e dormir. Então, surgem os questionamentos:

  • Como estou com 37 semanas já posso aliviar meu sofrimento, já que o bebe está pronto para nascer, então não corre mais risco, certo?
  • Estou muito confortável com minha gravidez, mas estou muito ansiosa para ver nosso(a) pequeno(a), conhecer seu rostinho e pegar no colo; logo, vamos tirar o bebê, pois já está de 37 semanas, certo?
  • Vamos agendar um parto cesariano assim que atingir as tão esperadas 37 semanas, pois não há riscos, certo? Este é o melhor momento para o bebê nascer!

 

Uma cesariana eletiva, ao completar 37 semanas, em pleno bem-estar fetal e materno (ou seja, sem nenhuma indicação formal de finalizar a gestação) oferece riscos, sim!

 

O melhor momento é quando o bebê quiser!

melhor momento para o bebê nascerO trabalho de parto desencadeia uma série de alterações fetais; elas culminam com modificações respiratórias que fazem com que o recém-nascido respire melhor ao nascer.

Dentro do útero, o pulmão do feto é preenchido por líquido amniótico, então todo oxigênio necessário é recebido via placenta e cordão umbilical. O mecanismo de trabalho de parto ativa um processo de reabsorção do líquido pulmonar, e as contrações uterinas auxiliam na expulsão deste fluido do pulmão da criança, diminuindo os distúrbios respiratórios do recém-nascido (independente se for parto normal ou cesariano).

Apesar de o maior benefício ser atingido quando se atravessa o canal de parto, não é preciso que o bebê saia pela vagina (parto normal) para já usufruir dessa vantagem. Se a mãe tem indicação de cesárea ou escolhe por ela – e cabe aqui o nosso respeito por esta escolha –, ela pode optar por fazê-la depois que se iniciar seu trabalho de parto: as dores não estarão tão intensas e o processo de expulsão do fluido do pulmão do bebê já teria se iniciado. Isso não aumenta riscos e beneficia o bebê.

Muitos estudos comprovam a melhora dos parâmetros respiratórios da criança ao nascer em pacientes que optam pela cesárea durante o trabalho de parto. Assim, diminuímos internações nas UTIs neonatais, tendo em vista que as causas respiratórias são o principal motivo destas admissões hospitalares.

 

Benefícios do trabalho de parto para o recém-nascido

Esperar o trabalho de parto se iniciar naturalmente é totalmente positivo para o bebê e a mãe:

  • Evita-se a prematuridade iatrogênica, que é a prematuridade provocada por erros de cálculos na idade gestacional, seja pelo profissional da saúde ou pela paciente;
  • Reduzem-se as internações em UTI por distúrbios respiratórios e, consequentemente, cai a taxa de mortalidade;
  • A exposição à flora ano-genital da mãe contribui para a melhora da imunidade do bebê;
  • Promove-se a alta precoce do hospital.

Ou seja, o melhor momento para o bebê nascer é aquele que ele escolher…

Mas e se a paciente não quer passar pela experiência do trabalho de parto? Ou, simplesmente, não pode, por indicação clínica?

Para garantir a segurança do feto, parto cesariano deve ser agendado a partir de 39 semanas apenas! Desta forma eliminam-se de vez os distúrbios respiratórios relacionados à prematuridade ou termo precoce e o bebê nasce respirando melhor.

Esta é uma recomendação do Conselho Federal de Medicina; foi publicada no Diário Oficial da União em 22 de junho de 2016, em consenso com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia e das principais sociedades mundiais da área.

Não é simples, portanto, a decisão sobre agendar o parto ou mesmo a identificação do dia certo. É preciso deixar de lado a comodidade e a praticidade, pois o bem-estar fetal está em jogo e deve ser totalmente considerado nesta escolha.