Cadê minha libido?

Postada em 1 de novembro de 2018.

A queixa de baixo apetite sexual é mais comum do que imaginamos e ela acomete mulheres de todas as idades. Uma das afirmações que mais escutamos de nossas pacientes é “meu anticoncepcional está afetando minha libido”. Será que isso de fato pode acontecer? Será que realmente os contraceptivos têm efeito sobre a libido feminina? A resposta espantosa ou esclarecedora é SIM!

ginecologista e obstetra

Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco

QUALQUER CONTRACEPTIVO, mesmo não hormonal, pode ter efeito no desejo sexual! E vale dizer que esse efeito pode ser para melhor ou para pior!

A explicação para o efeito dos anticoncepcionais sobre o apetite sexual vai depender das características desse contraceptivo. Existe uma grande quantidade de diferentes anticoncepcionais no mercado e suas diferenças básicas são a forma de aplicação (orais, injetáveis, intrauterinos, implantes, anéis vaginais, adesivos) e a composição (feitos apenas de progesterona, ou compostos por estrógeno e progesterona).

 

Como os anticoncepcionais influenciam

Os métodos hormonais combinados (que possuem progesterona + estrógeno) podem ocasionar redução do desejo sexual por diminuir diretamente os níveis de testosterona. Encontramos, na literatura, trabalhos referindo uma prevalência de 15% das usuárias apresentando uma piora da resposta sexual, associada ao uso destes medicamentos.

Mas existem inúmeras pílulas combinadas! Então, será que existe diferença entre elas, quanto à redução da libido? A resposta, de novo, é SIM!  Existem pílulas com maior efeito antiandrogênico (redução da testosterona) do que outras, as quais, portanto, têm maior efeito sobre o desejo sexual. Confira com seu ginecologista qual é a sua e qual efeito pode causar.

As pílulas hormonais apenas de progesterona, por sua vez, costumam ter menos impacto no desejo sexual, mas ainda perdem para o implante e o suporte intrauterino de Levonorgestrel, porque agem inibindo a ovulação e já é sabido que as mulheres têm um incremento da libido no período peri-ovulatório.

Métodos não hormonais, como preservativo, tabelinha ou coito interrompido, também podem alterar o desejo sexual, na medida em que, por apresentarem maiores taxas de falha, ocasionam mais insegurança na mulher, que não relaxa e não aproveita a relação.

libido feminina

 

A importância de estar bem consigo mesma

O objetivo deste texto do nosso blog foi tentar esclarecer o efeito dos anticoncepcionais sobre a libido feminina. Mas mulheres, vocês já pararam para pensar quanto os fatores externos podem influenciar o desejo feminino?

O estresse e cansaço do dia a dia, questões religiosas e culturais, sentir-se menos atrativa por não estar satisfeita com seu próprio corpo, não estar com a depilação em dia, não estar em um lugar que se sinta relaxada, relacionamentos conturbados, a própria menstruação, entre tantos outros…

Dessa forma, lembramos que o anticoncepcional é apenas mais um desses fatores, e que ele sozinho é insignificante. Ou seja, não adianta trocar o anticoncepcional se outros inúmeros fatores não vão bem!

Converse com seu ginecologista, tire suas dúvidas, mas, acima de tudo, esteja bem consigo mesma e com seu relacionamento!

 

 

  1. The effect of combined oral contraception on testosterone levels in healthy womenÇ a systematic review and metanalysis. Human Reprod Uptdate. 2014 Janç 20(1): 76 – 105.
  2. Higgins JA, Smith NK. The Sexual Acceptability of Contraception: Reviewing the Literature and Building a New Concept. J Sex Res. 2016 May-Jun;53(4-5):417-56].
  3. Sexual Desire and Hormonal Contraception. 2017 Mar 1. Obstet Gynecol. Author manuscript; available in PMC 2017 Mar 1.