Entenda o mecônio para não se assustar com ele

Postada em 14 de novembro de 2018.

Muitas gestantes ficam apavoradas ao ouvir o termo mecônio, pois, infelizmente, prevalecem mitos antigos de que, se o bebê fez cocô dentro da barriga, o parto será de urgência e ele corre sérios risco de vida.

Isso pode até acontecer, mas não é a regra!

 

ginecologista e obstetra

Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco

O que é o mecônio?

O mecônio nada mais é do que o primeiro cocô do bebê, e ele pode sair depois do nascimento ou ainda dentro do útero.  Se o bebê defecar na barriga, exames mostrarão o líquido amniótico verde – e é aí que os mitos começam a interferir na rotina médica.

O conhecimento popular dita que, diante da cor verde, não há saída: a cesariana é mandatória! Porém, é preciso investigar mais, pois essa urgência só faz sentido em alguns casos.

Estudo publicado em 2012 mostrou que, de mais de 2.400 partos estudados, 11,9% apresentaram mecônio no líquido amniótico e, ainda assim, 68% desses partos foram normais1.

 

Como o mecônio se forma?

Comecemos do início: durante a gestação, o bebê urina, mas geralmente não defeca. E isso é um bom sinal, pois mostra o funcionamento normal de seus rins. A urina do feto ajudará a formar o líquido amniótico – tudo muito natural e dentro do esperado.

Como sabemos, o oxigênio e os nutrientes necessários para o desenvolvimento e bem-estar fetal chegam através do cordão umbilical a partir da placenta, e não através dos pulmões e da respiração como na vida extrauterina. No entanto, para o adequado desenvolvimento dos pulmões, os fetos simulam os movimentos respiratórios dentro do útero, o que acaba por deixar seus pulmões repletos de líquido amniótico (funciona mais ou menos como se respirássemos debaixo da água).

De maneira semelhante, o feto simula o movimento de deglutição e acaba engolindo líquido amniótico e outras substâncias em suspensão nesse líquido, que serão responsáveis pela formação do mecônio.

Quando o mecônio é eliminado com o bebê já nascido, tudo fica sob controle – a preocupação das mães surge quando o mecônio se dá ainda com o bebê em gestação.

 

Mas em que situação o feto elimina o mecônio ainda dentro do útero?

mecônioExistem basicamente dois motivos para a eliminação de mecônio durante a gestação: primeiro e mais comum é quando o intestino fetal termina de se formar e o feto está maduro, o que indica que a eliminação do mecônio faz parte do processo fisiológico; e, segundo, quando existe uma má oxigenação fetal, o que provoca um aumento da contratilidade dos intestinos e relaxamento dos esfíncteres anais (semelhante quando estamos em uma situação de estresse e literalmente borramos as calças).

A eliminação de mecônio, ainda que em uma situação de estresse fetal, pode não ser indicativa de maior morbidade ao recém-nascido. O maior problema se dá quando o feto realiza o movimento respiratório, já mencionado, dentro do útero e acaba levando esse mecônio juntamente com o líquido amniótico para dentro de suas vias aéreas. Essa rara situação é responsável por provocar uma pneumonia séria no bebê logo que nasce.

 

Mas como saber se o bebê está bem?

A equipe multidisciplinar é treinada para monitorar a oxigenação fetal, a qual é realizada através da ausculta dos batimentos cardíacos fetais e da cardiotocografia.

No caso de os batimentos estarem alterados, o parto deve ser apressado. No entanto, vale ressaltar que nem sempre a cesariana é a via mais rápida. Logo, cada caso deve ser individualizado e avaliado minuciosamente.

 

Estou com contrações e há mecônio: o que fazer?

No caso da bolsa estourar, o líquido que escorrer poderá apresentar cor amarelada ou esverdeada, indicando que o bebê defecou. Nosso primeiro e mais profundo conselho é: confie na equipe multidisciplinar que está te atendendo! Ela fará os exames precisos para identificar se o bebê está ou não em sofrimento.

Ainda que pareça difícil, a tranquilidade no processo do parto é essencial para a saúde da mãe e do bebê – tendo ou não mecônio. Portanto, procure manter a calma e seguir as instruções da equipe.

Esse é um trabalho de parceria e de extrema confiança; daí a importância de você pesquisar, durante a gestação, por profissionais que lhe passem segurança e sejam bem informados!

 

1OsavaI, R. H.; Silva, F. M. B; Junqueira, S. M. O. V.; Tuesta, E. F.; Amaral, M. C. E. Fatores maternos e neonatais associados ao mecônio no líquido amniótico em um centro de parto normal. Acessado em http://www.scielo.br/pdf/rsp/2013nahead/ao3777.pdf em 13 de novembro de 2018.