10 verdades sobre o mioma uterino

Postada em 26 de julho de 2019.

Os miomas uterinos são os tumores BENIGNOS mais comuns encontrados no trato genital feminino – são lesões sólidas que se originam na musculatura da parede uterina. Todo mundo conhece alguém que possui mioma. Mas é claro: há trabalhos científicos que mostram sua presença em até 70% da população feminina – se considerarmos esta estatística, o normal é ter mioma.

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco

Este assunto não sai das rodas de conversa.  Por isso, vamos esclarecer algumas coisas.

1. Ao contrário que muitos pensam, mioma não é câncer e não vai virar câncer: como já dito, é uma lesão BENIGNA, cuja probabilidade de algum dia se transformar em um câncer é menor do que 1%. 

2. Seu crescimento é extremamente lento.  Se você descobriu recentemente, saiba que ele estava ali há um bom tempo e demorará muito para mudar consideravelmente de tamanho. “Ah, vou tirar porque e se ele crescer muito?”: esquece, não tem justificativa. Ele não vai crescer de um dia para o outro e nem vai virar câncer.

3. Eles causam sintomas em apenas 20% dos casos. A maior chance (80%) é de que lhe não lhe cause nada. Sem crescimento rápido e não virará câncer.

4. O que pode lhe causar algum dia: sangramento aumentado e dor pélvica. Porém, como dito, só em 20% das suas portadoras.

5. Existem várias causas para dor pélvica e sangramento anormal. Nem sempre culpem o mioma. Por exemplo, mulheres acima dos 40 anos devido à sua proximidade com menopausa, possuem desordens hormonais que desregulam seu ciclo menstrual e as fazem sangrar mais. O mioma pode estar ali apenas como um achado de ultrassom, quietinho no cantinho dele, sem lhe dar dor de cabeça nenhuma. Muitos o culpam injustamente.

6. Mioma não é a causa de dor nas pernas, dor nas costas, dor de cabeça, alteração na urina, prostração e muito menos ganho de peso!!! Mioma não engorda ou causa inchaço. Caso você tenha algum desses sintomas ou características, esqueça o mioma e vá investigar outras causas!

7. “Tenho mioma, logo vou operá-lo.” Errado! A maior probabilidade é de não lhe causar nada (deixe-o ali). Caso tenha sintomas (hemorragia e dor pélvica), estes obtêm ótima resposta com medicações orais e outros tratamentos não cirúrgicos.

8. Por que a cirurgia não é a primeira escolha? A histerectomia (cirurgia de retirada do útero) não é isenta de riscos: dor pós-operatória muito importante (30%), trombose e embolia pulmonar (15%), infecção (11%), dor pélvica crônica (5%), hemorragia (2%), lesão do trato urinário (1%), lesão de intestino (1%) e mortalidade (0,1%).

9. Como possui influência hormonal, o mioma  diminuirá muito de tamanho ou até mesmo desaparecerá após a menopausa. Se a menopausa está próxima, vale a pena esperar.

10. “Caso eu tenha mioma, o que fazer?” Basta continuar seu seguimento de rotina, que seu ginecologista realizará o acompanhamento com exames de ultrassom periódicos (semestrais a anuais) para conseguir intervir, se algum sintoma aparecer, ou rastrear algum raro crescimento acelerado.