Aromaterapia: apoio natural ao trabalho de parto

Postada em 24 de julho de 2020.

A aromaterapia, técnica que mescla medicina alternativa com pseudociência, consiste na utilização de óleos essenciais para melhorar o estado físico e psicológico de uma pessoa. 

Há estudos que comprovam a eficácia e os benefícios da aromaterapia na gestação. 

A vantagem de utilizar óleos essenciais se dá após a inalação de seu perfume – que dará uma resposta neuropsíquica capaz de motivar respostas emocionais que irão agir nos centros nervosos do corpo. 

Menos dor, alívio de cólicas e benefícios até para o recém-nascido

Recentemente, foi efetuada uma revisão sistemática com metanálise de nove estudos, publicada no Journal of Obstetrics and Gynaecology, em 15 de julho de 2020, que avaliaram os efeitos da aromaterapia durante a gestação, no trabalho de parto e pós-parto. 

Os resultados da pesquisa evidenciaram que a aromaterapia PODE contribuir para a diminuição de dores no parto – nas fases ativas iniciais e ativas tardias. 

Após o parto, a aromaterapia pode pode auxiliar no alívio de cólicas, promover o relaxamento e, até mesmo, atuar na expulsão da placenta. 

Outras pesquisas comprovaram que o aroma de óleos essenciais possui benefícios para o psicológico e, ainda, influencia na formação fisiológica do recém-nascido. 

A aromaterapia é uma grande aliada durante o trabalho de parto seja ele normal, cesariano, humanizado, em casa ou no hospital. 

Nosso ponto de vista 

Nós, Drs. Beatriz e Antônio, defendemos o uso da aromaterapia na gestação, durante o trabalho de parto e no pós-parto. Sempre conversamos com a gestante, explicamos como funciona a aromaterapia, seus benefícios e os fatos científicos que a cerca. Mas, quem bate o martelo sobre o tratamento alternativo é a mulher. Afinal, o corpo é dela e a gestação também. Nosso papel é orientar, apenas isso. 

Tem dúvidas? Converse com a gente!