Parto humanizado: a protagonista é você!

Postada em 21 de agosto de 2020.

Conceitos de humanização

Apesar do termo ‘parto humanizado’ ainda não ter uma definição, de acordo com o livro ‘PARTO, ABORTO E PUERPÉRIO Assistência Humanizada à Mulher‘, do Ministério da Saúde, publicado em 2001, “reconhecer a individualidade é humanizar o atendimento. Permite ao profissional estabelecer com cada mulher um vínculo e perceber suas necessidades e capacidade de lidar com o processo do nascimento. Permite, também, relações menos desiguais e menos autoritárias, na medida em que o profissional em lugar de ‘assumir o comando da situação’ passa a adotar condutas que tragam bem-estar e garantam a segurança para a mulher e o bebê.”

Intervenções desnecessárias afrontam o protagonismo feminino

Infelizmente, para muitos médicos desempenhar o papel de coadjuvante e devolver o protagonismo para a mulher é uma tarefa difícil  – dizemos devolver o protagonismo pois, o corpo, o parto e o bebê pertencem àquela mulher, o correto é ela opinar; quem sabe melhor do seu corpo e de suas vontades do que você mesma? Ninguém! 

Ainda, segundo o Ministério da Saúde: “ a maioria dos profissionais vê a gestação, o parto, o aborto e o puerpério como um processo predominantemente biológico onde o patológico é mais valorizado. Durante sua formação, doenças e intercorrências são enfatizadas e as técnicas intervencionistas são consideradas de maior importância. Entretanto, a gestação é um processo que geralmente decorre sem complicações. Os estudantes são treinados para adotar ‘práticas rotineiras’, como numa linha de produção, sem a avaliação crítica caso a caso. Disso decorre um grande número de intervenções desnecessárias e potencialmente iatrogênicas.” 

Nós, Drs. Beatriz e Antônio, não concordamos com tal prática! Entendemos que esse tipo de pensamento está errado, apesar de ser ensinado desde a faculdade de medicina. Felizmente, durante nossa residência, trabalhamos em casas de parto; lá tivemos experiências incríveis sobre a importância e a necessidade do protagonismo feminino durante o parto. 

O que é o protagonismo no parto? 

O termo ‘parto humanizado: a protagonista é você’ consiste na liberdade feminina durante o trabalho de parto – a mulher quem escolhe onde, como, com quem e qual jeito que melhor se sente para parir: deitada, de cócoras, de quatro, na banqueta, na água, enfim muitas opções. 

A mulher opina em tudo! Desde o acompanhante a algum tipo de intervenção. Tudo será respeitado, sempre preservando o bem-estar do binômio mãe-bebê.

Literalmente, o médico é o coadjuvante da história. O profissional estará lá, mas quem faz tudo é a mulher – basicamente, o médico assiste tudo e só entra em ação caso haja necessidade. 

Como ter um parto humanizado? 

Para ter um parto humanizado, você deverá encontrar uma equipe que trabalhe de maneira humanizada. É possível encontrar profissionais desse tipo no Sistema Único de Saúde (SUS) e no particular. Busque e se informe, pois o parto é teu!