Ginecologia natural: uma volta ao passado

Postada em 11 de dezembro de 2020.

Hoje, muitas mulheres estão aderindo a práticas ginecológicas mais naturais – a chamada ginecologia natural. Para quem não sabe, ela é proveniente de alguns países da América Latina; as mulheres de lugares como Chile, Uruguai e Argentina resgataram saberes ancestrais relacionados aos cuidados com o corpo. 

A ginecologia natural consiste na observação do ciclo menstrual como um todo: quando a paciente tem um problema, o profissional não olha apenas para o problema, existe todo um contexto (sentimentos, emoções, medos, anseios) em volta, e tudo isso é conversado e analisado. Coisas de fora podem incentivar melhorias dentro de você. 

Estilo de vida 

A ginecologia natural é um estilo de vida: entre diversos anticoncepcionais no mercado, por exemplo, a paciente pode, se quiser, optar por aquele que não tem hormônio; na ginecologia natural, os componentes químicos dão lugar a remédios naturais, compressas e chás. 

É importante lembrar que a ginecologia natural não substitui a convencional – aliás, elas podem caminhar juntas, pois apontam para o mesmo caminho: o cuidado com o corpo feminino. 

Autoconhecimento

Você sabe quantas vezes uma mulher saudável deve ir ao ginecologista no ano? Uma! Agora, você pode estar se perguntando: “Uma vez não é pouco?”. Não, se a mulher estiver saudável – está aí uma das importâncias do autoconhecimento. Se a mulher se conhece, ela vai saber quando precisa ir ao gineco, e também saberá quando aquela irregularidade for por conta de algum fator externo. 

É por essas e outras situações que incentivamos mulheres a se autoconhecerem: se toquem, anotem as informações dos seus ciclos, observem cada um deles com atenção e cuidem também de alterações que perceberem nos seus organismos – tudo isso é necessário para compreender o funcionamento do corpo feminino. 

O autoconhecimento é importante, e a ginecologia natural também prega isso. Ele auxilia no diagnóstico de doenças e evita que procedimentos desnecessários sejam feitos em você; por isso, sempre batemos na mesma tecla: você se conhece?. 

O autoconhecimento não vem de um dia para o outro; é necessário tempo e paciência, mas ele aparece, tá?! Se precisar de ajuda, conte com a gente.

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco