Tentante e a busca pela gestação

Postada em 24 de março de 2021.

Tentante, uma palavra que já diz por si só: é a mulher que está tentando engravidar – seja de maneira espontânea ou por meio de ajuda especializada. Primeiro, vamos destacar que não há vergonha em ser tentante; aliás, você e seu parceiro estão almejando algo lindo, o nascimento de um bebê – o que há de errado e vergonhoso com isso? Para nós, nada! 

O processo de fecundação parece ser fácil e super rápido, mas na prática não é bem assim. Por isso, é preciso entender alguns pontos para que você e seu parceiro não se sintam ‘incapazes de gerar um bebê’. Vamos combinar uma coisa? Nada de pensamentos negativos, vamos focar na informação! 

Entenda a fecundação

Você sabia que um casal em idade reprodutiva e fértil, com relações sexuais desprotegidas três vezes na semana, têm, em média, 20% de chances de fecundação? “Mas, só isso, Drs.?” Sim, só isso – parece ser mais, não é mesmo? Mas não se preocupe: estando tudo certo,  isso não significa que você nunca vá engravidar!

Olhe para os dados com atenção: especialistas consideram normal até 12 meses de tentativas. Na maioria das vezes, após seis meses de tentativas, aproximadamente 70% dos casais têm sucesso na fecundação, enquanto 85% engravidam em até um ano de tentativas. Após os 12 meses (tempo normal para tentar uma gestação), passa-se a considerar algum problema para um ou ambos os parceiros – essa taxa corresponde a 15% dos casais com infertilidade. 

Apegue-se no que realmente importa! Conhecemos muito bem a cabeça feminina e sabemos que a tentante sofre com suas próprias cobranças e de seus familiares. A nossa dica aqui é: escolha a dedo sua rede de apoio – se aquele casal de amigos ou parente fica cobrando sua gravidez, risque da sua convivência! 

Aliás, comunique que você é tentante apenas para quem realmente importa; não por nada, mas para não ficarem dando pitacos – a não ser que você pergunte e não se incomode com essas cobranças. 

Vamos falar de tratamento 

Após um ano de tentativas, recomendamos que o casal inicie uma investigação, que é necessária para entender o que está acontecendo e olhar com cuidado para os próximos passos. 

O tratamento é específico, em centros de reprodução especializados, dependendo do caso. Aqui, é importante falar: sua chance de gestação espontânea nunca será zero – quem nunca ouviu falar de um casal que descobriu que estava grávido após anos de tentativa?

Contudo, deve ficar claro ao casal que as probabilidades são maiores com o auxílio de tratamento, sendo que eles têm direito de saber que é prudente uma avaliação de uma equipe especializada em reprodução humana.

Decidiu ser tentante? Procure um médico!

Mantenha uma rotina de consultas/exames e uma relação muito aberta com seu ginecologista obstetra. Comunique a vontade de se tornar tentante para iniciar desde o começo um cuidado com a sua saúde. Se você é tentante de Lucas do Rio Verde, conte com nosso apoio e serviço! 

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco