Entenda o alarme falso do parto

Postada em 7 de abril de 2021.

Quem nunca ouviu falar de alarme falso do parto? Já escutou a avó, a mãe e até a vizinha falar: “Não chegou a hora, é alarme falso do parto. Fica tranquila!”. Mas a grande dúvida é: quando o meu parto realmente se aproxima?

Na verdade, o que vai gerar o trabalho de parto é uma grande incógnita. Se alguém sabe, por favor, nos avise! Existem pesquisas no mundo inteiro, mas ninguém sabe realmente o dia em que alguém vai entrar em trabalho de parto. O que sabemos é que surgem alguns sinais antes, que sugerem que o parto está se aproximando e, nos próximos dias, a mulher dará à luz. 

A esse conjunto de sinais, chamamos de “falso trabalho de parto” ou, clinicamente falando, de pródromos – essa fase é composta por alguns alertas, e o principal sinal, aquele que devemos ficar de olho, é a mudança dos padrões de contrações. 

Alarme falso do parto: importância de observar as contrações

Quem está chegando ao final da gestação já sabe das contrações de treinamento, que consistem basicamente no endurecimento da barriga. Na maioria das vezes, não há dores, somente um desconforto. A duração é super curta, e a gestante pode não perceber essas contrações, que começam lá pela 28ª semana – e são normais;  ocorrem porque o útero começa a treinar para entrar em trabalho de parto. 

Depois da 37ª semana de gestação, o padrão dessas contrações muda: elas passam a ficar mais próximas umas das outras, duram mais tempo, incomodam um pouco e, às vezes, atrapalham o sono porque surgem a cada 15-30 minutos. É possível aliviar de forma momentânea e ficar algumas horinhas sem senti-las, com descanso e remédio indicado pelo médico; porém, logo depois voltam.

Ou seja, não tem um padrão, não há um intervalo entre as contrações e elas nem têm a mesma duração! O que vai definir que a contração vai virar um trabalho de parto é o intervalo entre elas, que a gente chama de ritmo – e é isso que você deve prestar mais atenção!

Tampão mucoso não é indicativo de trabalho de parto!

Torna-se um trabalho de parto quando a contração geralmente é mais forte, dura mais tempo e o intervalo entre cada uma fica mais curto. Algumas grávidas acreditam que vão espaçar porque estão há uns dois ou três dias treinando, mas um belo dia as contrações que tinham um intervalo de 15 minutos passam para 10, 7 e finalmente a cada 5, 3 minutos – geralmente, esse último é o que chamamos de trabalho de parto. 

Portanto, o que vai dizer se é o momento do bebê nascer é o ritmo e o intervalo entre as contrações. Quando é alcançado um intervalo regular, a cada cinco ou três minutos, durante uma ou duas horas, bingo – temos aí o trabalho de parto. 

Mas atenção: antes disso, aquela contração que é mais espaçada, conforme comentamos no início, é o falso trabalho de parto. Não é necessário ir ao hospital por conta disso; apenas relaxe, descanse, poupe energia e saiba que o momento se aproxima. 

“Drs., e o tampão mucoso, é indicativo de trabalho de parto?” Secreção grossa, espessa e que muita gente chama de ‘catarro’, ele aparece na calcinha durante esse período de treinamento mais intenso, no fim da gestação. Pode ser branco, verde, amarelo, marrom e, muitas vezes, vem sujo de sangue. 

O tampão mucoso também é um alarme falso: sua eliminação sugere que o colo do útero está abrindo, o bebê se encaixando, e que o parto se aproxima – agora, quando o parto vai acontecer? Não sabemos! Temos mulheres que eliminam o tampão no dia do trabalho de parto e outras semanas antes (sim, ele pode se refazer e sair durante muito tempo). Portanto, a saída do tampão mucoso não é indicativo para correr ao hospital. 

Tem outras dúvidas sobre o trabalho de parto ou das semanas que antecedem ele? Entre em contato conosco!

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco