Terapia de reposição hormonal durante a menopausa

Postada em 17 de março de 2022.

Com a chegada da menopausa, a mulher passa por grandes mudanças; uma delas é que o corpo feminino passa a produzir menos hormônios estrogênio e progesterona. Essas alterações são normais, porém, algumas mulheres têm sintomas tão intensos que atrapalham o dia a dia – para deixar novamente tudo em equilíbrio, podemos entrar com a terapia de reposição hormonal.

É muito comum, durante os sintomas da menopausa, o médico indicar ou a paciente solicitar a terapia de reposição hormonal (TRH) para aliviar os sintomas. Na maioria das vezes, a TRH existe para proporcionar qualidade de vida às mulheres.

Diferente do que muitos pensam, as contraindicações absolutas à TRH são poucas, e ela pode ter efeito protetor no sistema cardiovascular!

terapia de reposição hormonal

O que é terapia de reposição hormonal?

Quando a mulher entra no período chamado climatério (pré-menopausa), os ciclos menstruais podem ficar irregulares, e ela pode apresentar sintomas como calor em excesso, alterações de humor, falta de sono, fortes dor de cabeça, perda de libido e memória. Algumas mulheres também podem apresentar sinais mais leves, como pequenas mudanças físicas e oscilações de peso.

Existem muitas formas de fazer a reposição hormonal, desde o uso dos hormônios injetáveis, orais, adesivos, até cremes para a vulva, segundo o Manual de Atenção à Mulher no Climatério, do Ministério da Saúde. Quando os sintomas são intensos, pode ser feita a combinação de hormônios de estrogênio e progesterona – dependendo da situação, pode haver a reposição apenas de estrogênio.

Benefícios da reposição hormonal

Os benefícios são a redução dos sintomas da menopausa, então diga adeus àquele calorão chato e suor escorrendo o tempo todo! 

E quem é que não quer ter a libido de volta, né, meninas?! A terapia de reposição hormonal também vai melhorar a sua vida sexual, que foi prejudicada pelo ressecamento vaginal, causando dores ao ter relações sexuais.

A TRH também ajuda na prevenção da osteoporose e depressão, e diminui os riscos de doenças cardiovasculares, como o AVC e infarto.

Lembre-se: os hormônios usados, a dose, o tempo e a forma de uso vão ser determinados junto com o seu gineco, considerando o que seu corpo precisa. Então nada de se comparar com a coleguinha que está passando pela mesma fase – cada uma é única.

Quer conversar sobre a terapia de reposição hormonal ou sobre o que vem sentindo durante sua menopausa? Entre em contato – vai ser um prazer te receber!

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco