O que é colo curto na gestação?

Postada em 20 de junho de 2022.

O colo curto na gestação, também conhecido como insuficiência cervical ou incompetência istmocervical, é um problema que acomete o colo do útero, fazendo com que haja dificuldade em sustentar o peso da gravidez, causando uma dilatação sem dor antes do momento certo – o que aumenta o risco de parto prematuro ou perda gestacional em fases avançadas da gravidez!

Esse problema acomete aproximadamente 0,5% das gestantes no geral, e até 8% das mulheres que têm histórico de perdas durante o primeiro trimestre.

O que causa o colo curto na gestação? 

É difícil indicar com clareza a principal causa do problema, mas algumas mulheres podem nascer com a condição ou desenvolver em algum momento da vida. Entenda:

  • Quando a mulher nasce com o problema, ele geralmente está relacionado a anormalidades uterinas;
  • Em casos em que é adquirido, o colo curto na gestação pode estar relacionado a algum trauma, como cirurgias no colo uterino e abortos prévios. O uso do fórceps em colos não dilatados também pode favorecer o problema.

Quais são os sintomas? 

Infelizmente, o colo curto na gestação é uma doença silenciosa e, muitas vezes, o único sintoma pode ser já o parto prematuro ou o aborto tardio. Essas situações podem ser precedidas por saída de muito muco com indícios de sangue pela vagina (tampão mucoso em excesso) e contrações uterinas não dolorosas. Sendo assim, o passado obstétrico conta muito para a realização do diagnóstico.

É possível que o médico suspeite da doença ao notar uma dilatação precoce durante os exames de pré-natal. Em nossa clínica, temos o hábito de realizar ultrassom transvaginal com medida de colo em todas as nossas pacientes, justamente para rastrear a doença em todas as gestantes e com isso fazer o diagnóstico precoce.

Existe tratamento? 

Sim, existe! O tratamento indicado é a cerclagem uterina – uma espécie de cirurgia em que o colo do útero é suturado, geralmente entre a 12ª e a 16ª semana de gestação, para evitar que o nascimento aconteça antes da hora (em alguns casos, pode ser realizada até a 25ª semana).

Essa sutura é retirada na 37ª semana de gestação, e aguarda-se que o parto aconteça em uma média de 7 dias. Mas é importante lembrar que o procedimento só é indicado pelo obstetra em casos realmente necessários e após uma avaliação cuidadosa!

O risco de aborto

O colo curto na gestação é responsável por aproximadamente 16% a 20% dos abortos espontâneos durante o segundo trimestre de gestação, por isso o acompanhamento médico é tão importante. Afinal, quanto antes a condição for diagnosticada, mais segura será a gestação – tanto para a mãe quanto para o bebê.

Como está o acompanhamento da sua gestação? Entre em contato conosco e marque uma consulta – vai ser um prazer te receber!

ginecologista e obstetra
Dr. Antônio de Morais, ginecologista, obstetra e especialista em Oncologia Ginecológica, e Dra. Beatriz Patz de Morais, especialista em Medicina Fetal e Obstetrícia de Alto Risco